Os 10 games que mais curti em 2019

Marcelo Jabulas – O ano foi movimentado no mercado de games. Mesmo sem os grandes medalhões de 2018, como Red Dead Redemption 2, Forza Horizon 4 e God of War, além dos diversos adiamentos, como The Last of Us 2, Doom Eternal e Cyberpunk 2077, 2019 contou com ótimos títulos. A lista é vasta, com produções como The Division 2, Devil May Cry 5, Rage 2, Wolfenstein: Youngblood, Sekiro, Far Cry: New Dawn e Call of Duty: Modern Warfare. Nessa penca de novos títulos separei cinco que considerei os mais legais de 2019

10º – Ace Combat 7

Ace Combat 7 resgata os jogos de aviões de combate, que bombavam nos computadores nos anos 1990. Nesse game, o jogador vive um conflito geopolítico, num futuro próximo. O game faz um balanço entre a jogabilidade arcade e simulação. Ele consegue ser desafiador, mas sem se tornar impossível de jogar.

Visualmente, o game é lindo, com excelentes efeitos visuais e iluminação que beira o realismo. Como todo game de aviação, é preciso ficar sempre atento ao altímetro, pois é comum perder a linha do horizonte de vista e descobrir que está prestes a se esborrachar quando não dá para arremeter. Para quem curte aviação, é um jogão.

9º – Far Cry New Dawn

Sequência de Far Cry 5, esse game se passa alguns anos após o final do episódio anterior. Após uma explosão nuclear os sobreviventes se esconderam em abrigos, mas logo retornaram à superfície. E como toda cartilha do mundo pós-apocalíptico, o que sobrou da humanidade se tornaram selvagens e sem nenhum tipo de respeito pela vida alheia.

O jogador assume o papel de integrante de uma equipe que percorre os Estados Unidos para dar suporte a acampamentos. Mas o protagonista acaba chegando nos arredores de Hope County, cidade de FC5, onde um gangue impera pela truculência. A jogabilidade segue a mesma, assim com boa parte do arsenal. O legal é que agora o jogador pode construir armas e veículos com sucatas.

8º – Madden NFL 20

Madden NFL, assim como FIFA e PES, é um game que tem edições anuais. A edição 2020 chegou no início do segundo semestre de 2019, com o plantel atualizado. O game incluiu novos jogadores e trazia o calendário da temporada de acordo com as disputas reais.

Visualmente o game está muito bem detalhado e a jogabilidade tem se mostrado mais amigável, quando comparado a edições mais antigas. Para quem gosta de viver a campanha, é legal encarnar o papel do head coach de seu time. Comprar, vender, treinar, atender a imprensa, fazem parte das atribuições entre um jogo e outro. Além disso, Madden é uma boa maneira de aprender as regras do esporte e suas atualizações. 

7º – Mortal Kombat 11

MK11 retornou ao mercado em março e prima pelos excelentes gráficos e pela brutalidade peculiar da franquia. A graça está no sadismo do jogo, com combos e finalizações que disparam vísceras na tela. Com diversos modos de jogo, incluindo uma campanha, um tanto caricata, o game segue o padrão de jogabilidade de Injustice 2, com uma série de itens cosméticos colecionáveis.

É um game legal para jogar online, mas também é bom para chamar a turma da velha guarda para partidas em casa e lembrar da época em que torravam fichas nos fliperamas de buteco.

6º – Devil May Cry 5

DMC foi responsável pela consolidação pela era moderna do gênero Hack & Slash. Depois dele surgiram God of War, Ninja Gaiden, Castlevania, Dante’s Inferno e mais um monte de games de porradaria 3D. Nessa aventura o jogador assume o controle de Dante, Nero e V, num game que resgata elementos fundamentais do gênero inimigos incessantes, chefes gigantes e upgrade de habilidades.

5º – Rage 2

Rage foi um dos games mais legais da geração PS3 e Xbox 360. Era um game de tiro ácido, que incluía elementos de exploração num mundo devastado por um apocalipse natural. Rage 2 avança no tempo e expande a experiência de jogo numa aventura em mundo aberto em primeira pessoa.

O game faz uma junção de elementos que remetem a  Borderlands e ao clássico Mad Max 2, com  humor ácido, indivíduos escrotos, muita truculência e gangues de estrada querendo sua cabeça. É um game intenso, repleto de missões e seres caricatos que tem prendem na trama.

4º – Wolfenstein: Youngblood

Não escondo de ninguém que sou groupie de B.J. Blazkowicz. Afinal, Wolfenstein 3D foi o primeiro FPS que eu joguei na vida. E desde então a vida só tem sabor com uma metralhadora giratória.  Youngblood chegou este ano e colocou as filhas de B.J. na parada, numa aventura passada nos anos 1980. Elas precisa resgatar o pai, que desapareceu e rumores indicam que ele estaria em algum canto de Paris, ainda dominada pelos nazistas.

Um dos grandes baratos desse game é que ele foge do padrão linear do atual momento da franquia. O jogador escolhe a missão que quiser e tem a liberdade de aceitar ou não tarefas paralelas. Além disso, a aventura e vida pelas irmãs Sophy e Jes. O jogador pode jogar sozinho, com uma das irmãs como NPC, ou de modo cooperativo com outro jogador. Perfeito para quem gosta de apertar o gatilho sem dó!

3º – Sekiro: Shadows Die Twice

Cara, preciso ser franco. Tive mais ódio que e alegrias com Sekiro. Acredito que boa parte da humanidade também. O game da From Software segue o elevado nível de sadismo do estúdio japonês, que é responsável por Demon’s Souls, Dark Souls e Bloodborne.

No game, o jogador assume o papel de um guerreiro shinobi que precisa proteger seu senhor. O game conta com belos gráficos e nível de dificuldade extremo. Mas oferece ótima jogabilidade e enredo excelente. Vale muito a pena jogar, mas seja persistente.

2º – Resident Evil 2

A Capcom é mestre em requentar games antigos. Coletâneas, reedições são frequentes. Mas o remake de Resident Evil 2 é uma obra-prima. O game mantém o mesmo enredo do jogo original, de 1998. No entanto, adicionou novos elementos e alterou cenários, tarefas e colocou tudo na visão em terceira pessoa, com gráficos excelentes.

No game, o jogador deve jogar com Leon e Claire. Cada um tem a própria campanha e o jogador escolhe com qual iniciar a jogatina. Boa parte da trama acontece na delegacia de Raccoon City, com direito ao “linguarudo” Liker e ao famigerado Mr. X. Para quem não se lembra, é um grandalhão de casaca e chapéu que não pode ser derrubado e persegue o jogador durante a trama.

Se você é fã da franquia, esse game é simplesmente obrigatório. Ainda mais que Residente Evil 3 também chegará todo refeito em abril.

1º – Days Gone

Foi uma das grandes promessas da Sony para o PS4. O game que teve produção arrastada chegou no primeiro semestre e colocou o jogador na pele de Deacon Saint John, um motoqueiro que tenta reencontrar a esposa após uma epidemia que transformou a humanidade em criaturas ferozes.

Exclusivo para PS4, o game é dividido em dois mapas imensos que exigem que Deacon pilote a própria moto para executar tarefas para os acampamentos de sobreviventes. Mas a graça do jogo está na imprevisibilidade: a falta de combustível pode fazer uma tarefa simples se tornar um inferno. Afinal, além dos zumbis, o jogador é atacado por gangues e animais famintos. Vale a pena jogar.

Para mim, o melhor jogo do ano. É um daqueles games que você termina a história principal, mas continua perambulando pelo mapa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.