Ace Combat 7: Um voo até a época dos simuladores de PC

Marcelo Jabulas | Redação GameCoin – Games de aviação tiveram seu grande momento nos anos 1990, com a popularização dos computadores domésticos. Eram games muito técnicos, dedicados a um nicho de público formado pelos entusiastas por aeronaves, como “F-16 Combat Pilot” de 1988, assim como a famosa franquia “Flight Simulator” da Microsoft. Mas havia opções mais simples, como Top Gun do NES, tal como After Burner e G-Loc no Mega Drive. Apesar de legais, sucumbiram ao tempo e tornaram-se produções de pé de prateleira, diante dos gêneros de maior demanda. Ace Combat 7: Skies Unknown aparece nesse cenário, com a missão de reacender o interesse pelos jogos de aviação.

Pessoalmente, o game me trouxe lembranças de quando ficava horas jogando velharias aéreas no PC, como A10: Tank Killer, Flight Simulator, B-17: Flying Fortress e meu favorito, Strike Commander. A diferença é que ao invés de usar mouse e teclado, usar os gatilhos do Dualshock 4 e os analógicos tornam a pilotagem bem mais intuitiva. Para uma experiência mais rica, optei pela “condução” mais realista. Foi uma viagem no tempo.

Visual

Com gráficos primorosos, a produção da Bandai Namco coloca o jogador diante de máquinas de guerra lendárias e com grande riqueza de detalhe. Pilotar com a visão do cockpit ou atrás da aeronave permite notar detalhes de funcionamento da instru-mentação, assim como a movimentação dos flaps, ailerons, lemes e até mesmo o diâmetro dos pós-queimadores.

Ainda na parte visual, o título impressona com os efeitos de luz e sombras, seja pilotando de fora do avião, de dentro do cockpit, ou apenas com a visão do Head-Up Display. De fora da nave é possível ver os mecanismos em funcionamento, assim como a condensação do ar. De dentro, a sensação é de estar dentro do avião, com direito a “virar o pescoço” e enxergar a diagonal do aparelho e ter a visão embaçada com gotas d’água quando se entra numa nuvem.

Aeronaves

O game permite pilotar máquinas como F-4 Phantom, F-15 Eagle, assim como os modernos F-22 e F35 e o mais legal de todos eles, o F-14 Tomcat, astro do longa-metragem Top Gun, de 1986.

E também o brinquedo mais legal dos anos 1980, o Caça Bombardeiro dos Comandos em Ação. Era muito louco, ele abria e fechava as asas. Que bela infância!

História

A história do game se passa num mapa geopolítico bem diferente do que vivemos hoje, dominado pelas nações Osea e Erusea. Esse mundo hipotético tenta se reconstruir após a queda de um asteroide, que acabou gerando uma instabilidade bélica. A protagonista Avril Mead –uma piloto que junto com o avô restaurou um F-104 Starfighter. No voo de teste, ela foi abatida e capturada pela nação vizinha. A historinha serve de pano de fundo para as mais diversas batalhas que se apresentarão durante a campanha.

Colocar tudo num cenário imaginário evita polêmicas geopolíticas no mundo real. Uma estratégia muito parecida com a adotada no enredo de Strike Commander, clássico de 1993 em que o jogador era um piloto mercenário a bordo de um F-16.

Jogabilidade

Com versões para PC, PS4 e Xbox One, Ace Combat 7 permite que o jogador opte por um modo de pilotagem arcade, com jogabilidade mais simples, ou por um modelo de física mais próxima de um simulador. No entanto, ele é um game arcade por essência. Isso porque o jogador conta tem um arsenal com dezenas de mísseis e um volume de cartuchos para os canhões que seriam impossíveis na realidade, mas que se fazem necessário para dar dinamismo ao jogo.

Disparar mísseis não é um problema. O jogador tem um monte deles a disposição. Não é necessário travar mira. O game faz isso para você. Basta colocar o inimigo dentro do HUD e disparar.

Com o canhão o processo é mais complexo. É preciso centralizar a mira, o que não significa sucesso nos disparos. O ideal é atirar com o oponente a pouca distância, o que reduz as chances dele se esquivar.

Dogfight

O último episódio da série, Ace Combat 6, foi publicado em 2007 para Xbox 360 e oferecia modo on-line. No episódio atual as partidas em rede criam verdadeiros cenários de guerra vistos do céu.

Assim, é possível combater esquadrões, com direito a sequências de dogfight, que te farão certamente sentir o próprio tenente Pete “Maverick” Mitchell derrubando fictícios MIGs 28 (que na verdade eram Northrop F-5).

Ace combat 7 é uma nova luz para os games de aviação, que tiveram sua ‘era de ouro’ na década de 1990

Mini ficha GameCoin:
Ace Combat 7: Sky Unknow

Estilo: Aviação
Estúdio:
Distribuidora: Bandai Namco
Modo On-line: Sim
Idioma:  Legendas e menus em português
Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço Médio: R$ 250

E quanto vale o show?

Enredo: 3
Gráficos: 5
Jogabilidade: 4
Desafio: 5
Custo/Benefício: 5
TOTAL: 22 gamecoins

Tabela GameCoin de classificação

00 a 03 gamecoins: Péssimo
04 a 07 gamecoins: Muito ruim
08 a 11 gamecoins: Ruim
12 a 15 gamecoins: Regular
16 a 19 gamecoins: Bom
20 a 23 gamecoins: Muito bom
24 a 25 gamecoins: Ótimo

[sbscrbr_form]

[bws_related_posts]

Apertem os cintos, os simuladores sumiram!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.