Black Ops 4 – Modos de online superam falta de campanha solo

Curtiu? Então compartilhe este post!

Marcelo Jabulas | Redação GameCoin – A decisão da Activision e da Treyarch em remover a campanha solo de Call of Duty: Black Ops 4 foi uma decisão prática. Admito que, num primeiro momento não me agradou. Ainda mais depois do excelente Call of Duty WWII, com sua campanha generosa e regada de narrativas envolventes e personagens marcantes.

Mas é necessário admitir que a decisão foi acertada. Black Ops 4 é uma produção pensada no ambiente multiplayer. Não há sentido em colocar uma historinha nele. Ainda mais depois que a série paralela decolou rumo a uma visão distópica do futuro.

Mas é claro que os produtores não jogaram seus jogadores num ambiente de guerra sem uma explicação. O game tem uma pequena introdução em que insere os personagens que poderão ser utilizados nas sessões de massacre. Eles fazem parte de um time de mercenários contratados por uma “trilionária” excêntrica. Isso mesmo, segundo o game, a patroa é o primeiro ser humano a acumular US$ 1 trilhão em seu porquinho. E toda essa grana lhe permitiu montar um pequeno exército para vingar a morte de sua irmã militar, abatida em ação.

Essa introdução, que leva pouco mais de cinco minutos, não serve para nada em termos práticos. Mas dá uma orientação sobre as funções dos personagens. Como é de praxe nos games on-line, cada integrante da equipe tem uma função. Atirador, suporte, explosivos, artilharia e por aí vai.

Gameplay

Cabe ao jogador elevar os atributos de cada um dos personagens. Isso se faz necessário, pois nem sempre será possível jogar com seu bonequinho preferido. Daí convém manter o equilíbrio para o bem de seu time.

Call of Duty: Black Ops IV se divide entre três modos distintos: Mata-mata em equipes, modo Zumbi e Blackout, que sua forma de denominar o modo Battle Royale. Das três opções, a mais amigável é o Zumbi. Nele o jogador se une a outros num cenário que irá se expandir a medida que as “ondas” de zumbis são derrotadas.

Nesse formato, é necessário ser cooperativo e ajudar os companheiros, senão todo time perde. Sua estrutura é praticamente a mesmo de CoD: WWII, em que as partidas podem ultrapassa duas horas. O que muda é ambientação, com arenas que misturam o medieval com mitologia egípcia e personagens de estilo steampunk .

Equipes

O modo multiplayer convencional não traz inovações de jogabilidade. Nele, o time vencedor é aquele que acumular mais execuções e o jogador vencedor é o que tiver mais abates e ter meno número de respaws (ressuscitação). A graça da versão está na variedade de armas e apetrechos. Escudos, granadas e até carrinhos de controle remoto com explosivos são letais.

Os cenários também são variados e há armadilhas que podem matar o jogador. É um modo que vale a pena jogar com companheiros de longa data, que conhecem as funções de cada personagem e têm estratégias de combate.

Na Brasil Game Show, um dos executivos da Treyarch, Jay Puryear, deixou bem claro que se trata de um modelo para jogar com amigos. E não é mera estratégia de vendas. Jogar em times desconexos tira o brilho do game. É o atirador que não cobre a área, o suporte que não está junto do batedor e o resultado é uma algazarra de tiros sem sentido.

Battle Royale

O modo Blackout segue a febre dos games Battle Royale. Nele, vence o jogador que for o último sobrevivente do mapa. O esquema de gameplay é o mesmo de títulos como Fortnite e PUBG. Os jogadores literalmente caem de para-quedas e precisam recolher armas, indumentárias e demais equipamentos para o combate.

Tal como os demais, ele conta com um mapa imenso que vai se fechando para não deixar os jogadores dispersos. No entanto, Blackout oferece prédios com vários andares e uma grande variedade de veículos, até helicópteros, que buscam temperar e trazer novidades ao modelo.

Veredito

Call of Duty: Black Ops 4 chega como um compilação de modos multiplayer, que tenta colocar num mesmo balaio os tradicionais modos de mata-mata, de franquias franquias como Battlefield, além de explorar a epidemia dos games Battle Royale como Fortinite, H1Z1 e PUBG oferecem de forma distinta.

O preço inicial de R$ 230 pode assustar. Uma vez que muitos desses games são gratuitos em suas edições básicas. Outro fator que pode fazer o jogador torcer o nariz, é o fato de não oferecer campanha solo. Ou seja, é um game que só pode ser jogado com outros jogadores.

No entanto, é um prato cheio para quem realmente gosta de disputas em rede, pois é como se jogador levasse para casa três games pelo preço de um. Não é a toa que o game vendeu meio bilhão de dólares logo na estreia. Disponível para PC, PS4 e Xbox One.

Mini ficha GameCoin:
Call of Duty: Black Ops 4

Estilo: FPS Online
Estúdio: Treyarch
Distribuidora: Activision
Modo On-line: Sim
Idioma: Áudio, legendas e menus em Português
Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço Médio: a partir de R$ 230

E quanto vale o show?

Enredo: 1
Gráficos: 5
Jogabilidade: 5
Desafio: 5
Custo/Benefício: 4
TOTAL: 20 gamecoins

Tabela GameCoin de classificação

00 a 03 gamecoins: Péssimo
04 a 07 gamecoins: Muito ruim
08 a 11 gamecoins: Ruim
12 a 15 gamecoins: Regular
16 a 19 gamecoins: Bom
20 a 23 gamecoins: Muito bom
24 a 25 gamecoins: Ótimo

Leia Também

Curtiu? Então compartilhe este post!