Artigo – Por que Nürburgring desafia a sua honra?

GAMECOIN - NURBURGRING

Marcelo Iglesias

O primeiro jogo que tive contato, no longínquo ano de 1983, foi Enduro. Obra de arte do Atari 2600 foi meu cartão de visitas. Mas desde aquele instante estabeleci um vínculo com os games de corrida, fossem eles arcade ou simuladores impiedosos. Depois do clássico Enduro, vieram Grand Prix (Atari), Test Drive (PC), OutRun (Master System), Super Monaco GP (Mega Drive), F-Zero e Top Gear (SNES), Stunts, Indianapolis 500 e Nascar Racing (PC), The Need For Speed (3DO) e Gran Turismo (PSOne). Obviamente esqueci um monte, mas volto para fazer menção honrosa a Super Mario Kart (SNES), que figura como um dos melhores jogos de todos os tempos.




Mas o dia em que me senti gente grande, foi quando percorri os 22 quilômetros do Nordschleife, o famigerado Anel Norte de Nürburgring. Até o final da década de 1990, pouquíssimos jogos traziam circuitos reais com grande nível de precisão. Nordschleife ficou popular em Gran Turismo 4 (PS2), mas rapidamente se espalhou em games para PC como RFactor e em MODs para GTR2 (obra prima). O pessoal da SimBin, produtora da série, que em meados da década de 2000 era distribuída pela Atari, tratou de incluir o circuito de maneira oficial, quando publicou GTR Evolution.

Gran Turismo 6

Rapidamente, correr em Nürburgring se tornou uma febre. Vários títulos permitem experimentar o traçado estreito e repleto de curvas impiedosas, que nos fazem agradecer aos deuses por ser uma experiência virtual. Nas salas on-line há milhares de marcas, algumas dignas de fazer inveja a Niki Lauda. Além de Gran Turismo 4, a pista também faz parte do catálogo de GT5 e GT6 (PS3). A turma do Xbox 360 pode encarar as curvas em Forza Motorsport 4 ou em Test Drive: Ferrari Racing Legends. Outro jogo que tem a pista SHIFT 2: Unleashed. Forza 5 leva a pista para a nova geração no Xbox One. Cada game tem suas variações e níveis de realismo e física distintos. E tentar apontar qual é o mais real ou mais desafiador é discutir o sexo dos anjos. O negócio é escolher um game e se dedicar a ele.

Em GTR2 nunca consegui um desempenho excepcional, afinal para que as respostas fossem precisas era necessário uma bela placa de vídeo, memória RAM de sobra e um volante aos moldes de um Logitech G27. Em Gran Turismo 4 foi mais fácil. Não sei dizer quantas vezes eu corri na pista, mas meu melhor tempo, com modelo de produção, foi com  um Subaro Impreza STi WRC SpecC, ano 2005, totalmente preparado, com cerca de 525 cv, pneus de competição macios e relação de marchas ajustados cirurgicamente. A melhor volta foi cravada em 7min9seg. Não me perguntem os milésimos, pois não sou demente o bastante para ter decorado. Tentar bater os 6m47s do Pagani Zonda R seria o nirvana!

Em Project CARS (confira o vídeo no final da página) a situação também é tensa, o game distribuído pela Bandai Namco não tolera “irrealismos”. Daí qualquer tentativa de burlar as leis da física significa um beijo no muro, que pode vir acompanhado de perda de tempo, tempo invalidado ou fim de prova. Apesar de Project CARS não ter uma lista gigantesca de carros, o game conta com bólidos como BMW Z4, Mercedes-AMG GTR ou SLS AMG em suas configurações para categoria GT3, assim como como uma grande lista de carros que podem oferecer ótima performance em Nordscheleife. Um Z4 GT3 é possível completar a prova sem cometer erros, mas andar abaixo dos 8 minutos exige perseverança.

Setup em Nürburgring

O segredo para uma boa performance (no meu caso), seja em Gran Turismo, seja em Forza, é sempre configurar a transmissão para marchas mais curtas entre a segunda, terceira e quarta e esticar a sexta ou sétima, para se conseguir um baita overdrive. As medianas serão fundamentais para encher o motor nas saídas das curvas fechadas e uma ultima alongada permitirá atingir máximas elevadas no retão antes da última chicane. Em GT4, o segredo é guardar o nitro para o último setor e abrir o cilindro logo após a saída do último cotovelo, nos títulos que não há a opção, ou que o nitrogênio é muito caro, o jeito é ser rápido nas trocas e não deixar que o giro caia. Em Project CARS o que se pode fazer é ajustar a suspensão e só, o resto com você.

GAMECOIN - NURBURGRING 2

É fundamental conseguir uma curva plana de torque. O pico de potência deve vir em rotações elevadas. Os pneus devem ser os mais macios possíveis, com cambagem bem arreganhada para segurar bem nas curvas. Reduzir ao máximo a altura livre também favorece a queda do centro de gravidade e impede a rolagem da carroceria. Ou seja, você consegue segurar melhor o carro em nas curvas.

As piores curvas de Nordschleife indubitavelmente são Flugplatz, logo após a primeira reta longa. O piloto deve ficar atento as placas de redução, senão vai atravessar o banco de areia. Outra curva demoniaca é a famosa Adenauer Forst. Sua tangente não é tão agressiva, mas como surge no final de uma sequência de curvas, após um aclive que praticamente cega o piloto, o risco de seu carro ricochetear é enorme.

Outras curvas traiçoeiras são as clássicas Karussell e Schwalbenschwanz. Dois belíssimos cotovelos com desnível, que podem acabar com a sua volta. Cuidado com com alterações de nível. Nürburgring tem mais de 200 metros de variação de altitude e boa parte das ladeiras e rampas terminam em curvas.

GAMECOIN - NURBURGRING 3

O grande problema de Nordschleife é que ela te desafia o tempo todo. Quando você não faz uma boa volta ela parece te humilhar e colocar seu péssimo tempo no alto da tela. Sair da pista é uma punição cruel em vários games, pois invalida a volta e joga na sua cara quão mediocre você é. Mas é simplesmente uma das pistas mais legais que alguem pode pilotar num videogame, ao lado Bathurst, Sarthe (Le Mans), Brands Hatch e Infineon e Laguna Seca.

E depois de horas diante da tela, na escuridão da madrugada, sozinho, com as pontas dos dedos na carne viva e as articulações inflamadas, finalmente você consegue sua volta perfeita. E diante da sua grandeza, você da aquela suspirada e diz para si mesmo: “Porra, como eu sou foda!”

E então, você já dominou o Inferno Verde? Então cole o link da sua volta nos comentários. É sempre bom ver uma boa performance nessa pista fascinante!


[bws_related_posts]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.