Nintendo Switch – saiba quanto custam os acessórios (nos EUA!)

Redação GameCoin

Que acompanha o GameCoin pode conferir detalhes do Nintendo Switch. O console chega no dia 3 de março por US$ 300 (R$ 970) e tem como grande trunfo a capacidade de ser um aparelho de mesa e ao mesmo tempo portátil. No entanto, para tirar o máximo de proveito das potencialidades do novo console da Big N, é preciso desembolsar bem mais que os “Trezentos Trumps” iniciais.

O Switch é cheio de pinduricalhos e itens vendidos à parte. No pacote base, o comprador recebe junto com o console, um dock para conectar à TV, das metades do joystick Joy-Con, além do Joy-Con Grip, que é a base plástica para unir os direcionais e formar um controle convencional.

No entanto, se o consumidor quiser jogar com um amigo, é preciso pagar US$ 80 (R$ 260) pelo kit que oferecer as duas bandas do Joy-Con. Separados os direcionais custam US$ 50 (R$ 162) e o Charging Grip sai por US$ 30 (R$ 97). Detalhe, esta opção vendida avulsa é capaz de carregar as metades do Joy-Con via cabo USB, ao contrário do Grip que acompanha o console que é apenas um pedaço de plástico.

E para quem tiver interesse em comprar o Nintendo Switch, convêm investir no Charging-Grip. Isso porque os direcionais só podem ser carregados no console, quando ele estiver posicionado no Dock. O tempo de carregamento é de aproximadamente três horas, para uma autonomia de 20 horas. Ou seja, gastar um pouco a mais é garantia de não ter a diversão interrompida.

Controle convencional

Outra opção mais barata é o Pro-Controller. Trata-se de um joystick convencional, que lá terra do Tio Sam custa nada modestos US$ 70 (R$ 226). Nesse caso, ele tem saída USB para carregamento.

A Nitendo também venderá o dock com acessório, caso o consumidor queira ter a base instalada em mais de um televisor, como por exemplo em casa e no sítio, na casa da avó, no escritório, seja lá onde for, sem a necessidade de sempre desacoplar a base do console. O preço da comodidade é de US$ 90 (R$ 290).

E por fim, para quem se amarra em Super Mario Kart, que terá edição para o Switch, é possível comprar o par de Joy-Con Wheels por US$ 15 (R$ 48). Trata-se daqueles volantes de plásticos que ficaram famosos no Wii para poder pilotar em jogos de corrida.

Já os games, compilados nos diminutos cartuchos do Switch, terão preços na cada dos US$ 60 (R$ 194).

Assinatura do Switch

Já deu para perceber que para ter todas as quinquilharias do Switch o consumidor terá que desembolsar uma pequena fortuna. Outro custo adicional será a assinatura do serviço on-line para o console, nos moldes do PlayStation Plus e Xbox Live Gold.

Ainda sem preço definido, o serviço oferecerá regalias como download e conteúdos gratuitos. Esse bônus permitirá que os jogadores tenham acesso a títulos de consoles como NES e Super Nintendo. Mas diferentemente dos serviços ofertados pelos concorrentes, em que os games grátis ficam disponíveis pelo tempo em que a assinatura for vigente, no serviço da Nintendo a disponibilidade dos games é de apenas o mês em que tiver na promoção.

Por aqui, onde a Nintendo não tem planos de retomar sua representação oficial é possível esperar preços com valores de três a quatro vezes do que é cobrado nos Estados Unidos.

Aí pesa!

[bws_related_posts]