Jogue Outra Vez – Uncharted Drake’s Fortune (PS3)

Curtiu? Então compartilhe este post!

Danilo Viegas 

Se algum amigo noob te perguntar sobre um jogo divertido para iniciar no mundo dos games, diga sem pestanejar: Uncharted Drake’s Fortune!

O primeiro jogo da saga, Drake’s Fortune, produzido pela Naughty Dog, já data do longínquo ano de 2007, quando a jogabilidade do PlayStation 3 ainda não havia atingido seu ápice. Ainda sim é um erro pensar que se trata de um produto defeituoso, afinal estamos falando de um game ícone do console da Sony. Mas o que faz Uncharted ser ainda hoje tão popular?

Misto de “Caçadores da Arca Perdida” com “As Minas do Rei Salomão”, Uncharted Drake’s Fortune discorre a saga do descendente de Sir Francis Drake, navegador famoso por ter sido o primeiro inglês a realizar uma volta ao mundo, em 1577 e também por ter sido um pirata que contrabandeava riquezas de embarcações espanholas para a coroa britânica (sim, este personagem é verídico!). Junto ao amigo e sócio Victor “Sully” Sullivan, Nathan Drake procura o tesouro perdido do El Dorado, aventura filmada para um documentário pela jornalista Elena Fisher.

Até aí, tudo bem, nada muito original (e até um tanto quanto clichê), mas o trunfo de Uncharted não está apenas na simplicidade de seu enredo, que vai ganhando força à medida que o jogo vai evoluindo. Elementos como jogabilidade, trilha sonora e valorização do cenário fazem da experiência de explorar lugares ricamente detalhados puramente divertido e cada vez mais interessante.

Estética de Uncharted

Os enquadramentos abertos quando Drake está diante do abismo são capazes de causar vertigens aos mais players mais sensíveis e dão uma perspectiva correta da ação ao jogador.  Em Uncharted, apertar o X para o personagem pular de um lugar ao outro requer uma certa carga de emoção, já que há a possibilidade de a distância não ser suficiente e Drake morrer ou se agarrar apenas por um pedra, fazendo com que suspiremos de alívio quando a missão se conclui com sucesso.

O enredo se desenrola em ritmo convincente, que deixa o jogador tenso conforme a trama pede. As doses de humor, jogadas ali e aqui, não atrasam as etapas, que se mesclam entre fases de combate veicular, stealth, fugas ensandecidas, jet skis cruzando rios da floresta (comprovando que as partes aquáticas são as piores em qualquer jogo), survival horror e é claro muitos  tiros e pulos.

Personalidade forte

A personalidade do trio principal de Drake’s Fortune é também uma sacada da Naughty Dog para fazer de Uncharted um jogo mais pessoal. Todos os personagens possuem características marcantes que valorizam ainda mais a experiência do game, mas ainda sim alguns clichês não são superados: Enquanto Drake é o destemido aventureiro, seu humor ácido e cínico traz leveza ao personagem. Já Sully é o típico tiozão das infames piadas de “pavê ou pacumê”, uma espécie de bicheiro em busca de riquezas perdidas. Elena Fisher, a jornalista determinada pela notícia, mostra a que veio apenas na segunda metade do jogo, mas em momento algum se torna peça chave do enredo.

Destaque também para os cenários e movimentos de câmera, vibrantes e singulares. Qualquer lugar que Nate visita é detalhadamente construído com primazia impressionante para um game que completa este ano uma década. Uncharted: Drake’s Fortune é atemporal, um game que definitivamente merece ser retirado vez ou outra da prateleira de velharia, ter a poeira soprada, e colocado no PlayStation para boas horas de muita diversão.

Mini ficha GameCoin:
Uncharted Drake’s Fortune

Estilo: Aventura
Idioma: Áudio, legendas e menus em português
Disponível: PS3
Preço médio: R$ 60

E quanto vale o show? 4 moedinhas (muito bom)
Enredo:
 4
Gráficos: 4
Jogabilidade: 4
Desafio: 4
Custo/Benefício: 5

Tabela GameCoin de classificação
5 moedinhas:
Excelente
4 moedinhas: Muito bom
3 moedinhas: Bom
2 moedinhas: Ruim
1 moedinha: Horroroso

Leia Também

Curtiu? Então compartilhe este post!

Os comentários estão fechados.