Review: Castle of Illusion Starring Mickey Mouse

Nova versão de "Castle of Illusion" agrada tanto quando a original
Nova versão de “Castle of Illusion” agrada tanto quando a original

A reedição de “Castle of Illusion Starring Mickey Mouse” é uma prova de que antigos títulos ainda rendem um bom caldo no mercado de games. Lançado em 1990, o joguinho simpático fez sucesso tanto no Mega Drive, quanto no Master System. Nele, Mickey se aventurava em um castelo mágico para resgatar sua namorada Minie. E até hoje é citado com carinho pela turma da velha guarda e pela molecada nova que se amarra em jogos antigos.

A nova versão, tocada pela Sega, manteve essência do título original, com um toque de humor inocente. A mecânica de jogo é simples e funcional. Mesmo que se tenha uma variação de cenários 2D e 3D, não há confusões de comandos como em alguns joguinhos, em que não é raro jogar o personagem em um buraco sem querer.

As fases vão seguindo o mesmo roteiro da produção de 1990, com a aventura se abrindo na floresta e dando sequência no quarto de brinquedos. Os chefes de fase ficaram mais intimidadores, mas não assustadores. Pelo contrário, o resultado da produção agrada aos olhos e os vilões são tão simpáticos quando o protagonista.

Apesar da simplicidade de seus objetivos, “Castle of Illusion: Starring Mickey Mouse”, é um game que prende a atenção do jogador, e não há quem se dê por vencido por um obstáculo ou vilão. Não há carreiras para construir, acúmulo de dinheiro, fama e outras conquistas. Mickey só quer saber de resgatar sua namorada e tocar sua vida. Simples e genial

Na PSN ele custa R$ 30,90.