GAMECOIN

Prey: Moon Crash merece uma segunda chance

Marcelo Jabulas Outro dia estava organizando minha biblioteca de jogos e me deparei com Prey Moon Crash. Resolvi escrever novamente sobre esse game publicado meados de 2018. Afinal é um título com uma abordagem interessante e recursos de jogabilidade bem peculiares.

A Arkane Studios levou sua criatividade ao limite com Prey. O título de Action RPG que une ficção científica e terror de sobrevivência foi uma das principais produções da Bethesda. Agora a estúdio disponibiliza a expansão Moon Crash, que mais uma vez abusa de ideia tresloucada para colocar o jogador numa aventura insólita em plena Lua.

No mundo da lua

O jogador assume o papel de um cientista que depara com um massacre numa estação espacial provocado por uma forma de vida alienígena. Em Moon Crash, o jogador é um hacker que, no sossego de sua nave, precisa descobrir como a tripulação da colônia lunar foi massacrada pelas mesmas criaturas, chamadas de Typhon. Para isso terá que simular como cada um dos cinco sobreviventes conseguiu escapar da instalação.

Se o enredo recorre a elementos comuns, como as criaturas alienígenas, assim como armas e a capacidade de recolher objetos para construir ferramentas ou aparelhos complexos, Moon Crash oferece jogabilidade diferente.

Roguelike

Prey é um game em que o jogador vai abrindo as dependências da estação espacial, como em qualquer RPG, e tem livre acesso. Moon Crash, por sua vez, coloca o jogador num game de estilo Roguelike (Masmorra). O jogador tem acesso às dependências, mas toda vez que morre e precisa reiniciar o jogo o game gera um nível aleatório diferente daquele acessado anteriormente.

Esse formato surge fundamental para a proposta do jogo, que é justamente fazer com que cada um dos sobreviventes consiga fugir. O jogador é uma espécie de detetive que, a distância, tenta entender o que aconteceu.

Personagens

O game oferece ao jogador cinco personagens. Eles vão sendo liberados em sequência. Finaliza um, e tem início o próximo. Cada um deles tem particularidades, como resistência, técnicas de combate e até mesmo habilidades sobrenaturais. E claro, quando se finaliza com um personagem, é gerado um nível aleatório. Afinal, não há como marcar o caminho com migalhas de pão.

Para facilitar a vida, o jogador pode comprar, com pontos obtidos durante as tentativas, itens como munição, armas, kits médicos e demais quinquilharias que podem salvar a vida na Lua. Disponível para PC, PS4 e Xbox One, é preciso ter o título original instalado para rodá-lo.

Sair da versão mobile