Indiana Jones and the Fate of Atlantis chega aos 30 anos

Compartilhe esse conteúdo

Indiana Jones and the Fate of Atlantis

Marcelo Jabulas | @mjabulas –  Vamos falar sobre “Indiana Jones and the Fate of Atlantis”. Mas antes vamos entender o contexto. No anos 1980, o cinema vivia dias de glória com os heróis anabolizados que resolviam tudo na base da porrada.

NÃO DEIXE DE CONFERIR:

Naquele cenário, um mocinho intelectual, canastrão e sem uma metralhadora giratória era o que a indústria precisava para fugir da mesmice. E ele se destacou na multidão. Henry “Indiana” Jones se tornou um dos grandes personagens do cinema e também atraiu seguidores no mundo dos games.

Indiana Jones na Atlantida

E uma das produções mais emblemáticas do arqueólogo interpretado por Harrison Ford foi “Indiana Jones and the Fate of Atlantis”, lançado em junho de 1992 pela LucasArts. Nesse game, o jogador não se enfronha numa aventura do cinema, mas numa história inédita, escrita justamente para o jogo.

Indiana Jones and the Fate of Atlantis

Naquela época, Dr. Jones bombava no cenário pop. O longa-metragem “Indiana Jones e a Última Cruzada” (1989) fez bastante sucesso e fechou a trilogia do cinema.

A indústria de games deu fartas goladas no cálice sagrado e foram lançados vários games sobre o filme, com versões para Master System, NES, Game Boy, Amiga, Macintosh, DOS, Mega Drive e Game Gear. Naquela época George Lucas dividia suas tarefas com o cinema e também com sua produtora de games a então LucasFilm Games – que posteriormente seria rebatizada de LucasArts. E a própria LucasFilm Games publicou uma versão Adventure (Aponte e Clique) do longa-metragem.

Ela tinha desenvolvido o motor gráfico SCUMM, que serviu de base para seus games do gênero, como o clássico “Maniac Mansion”, assim como “Zak McKracken and the Alien Mindbenders” e “The Secret of Monkey Island”. A produtora queria mais uma produção sobre o personagem criado por Lucas, mas era necessário algo original, que não fosse uma adaptação de conteúdos da franquia.

Reza a lenda que os roteiristas foram até o Rancho Skywalker (o cafofo do patrão) em busca de inspiração. Vasculhando a biblioteca do cineasta, eles teriam visto um livro que falava sobre a cidade perdida de Atlântida e com uma ilustração com três círculos. Era o que eles precisavam.

And the Fate of Atlantis

“Indiana Jones and the Fate of Atlantis” coloca Dr. Jones novamente num duelo contra os nazistas. O game se passa em torno de um artefato que permitiria chegar até a cidade perdida de Atlântida. Na trama, a antiga civilização seria capaz de alterar elementos e os nazistas querem criar armas atômicas com essa tecnologia ancestral.

Como um tradicional Adventure, o jogo conta com muitos diálogos, piadas e quebra-cabeças para avançar na história. Com o suporte de uma galera que trabalhava com cinema, a fotografia do game era espetacular e se sobrepunha às limitações técnicas da época.

O game tem vários cenários legais. Como nos filmes, Indy precisa viajar para diferentes cantos do mundo em busca de pistas. Tudo isso faz de “Fate of Atlantis” um game bonito, bem desenhado e com cenários bem enquadrados. Posições de câmera com elementos em perspectiva. Simplesmente irretocável.

A jogabilidade também é mais dinâmica que em outros Adventures da LucasFilm Games. O menu de objetos conta com ilustrações e os comandos rápidos no teclado torna a brincadeira mais fluida na hora de combinar os elementos dos quebra-cabeças.

O game recebeu posteriormente uma edição em CD-ROM com adição de vozes gravadas. Naquela época os kits multimídia eram a última tendência no mercado de games e a Lucas não quis ficar de fora, ainda mais num game repleto de diálogos.

Ainda hoje é um dos melhores jogos já criados para a franquia. Indy recebeu games posteriores bem mais modernos, como “The Infernal Machine” e até mesmo a impecável edição LEGO, mas não são capazes de sobrepor ao Adventure.

Para quem gosta de jogos antigos, “Indiana Jones and the Fate of Atlantis” é uma pedida imperdível. E o melhor é muito barato. Na Steam é possível comprar a edição para PC e Mac por apenas R$ 12. No entanto, volta e meia ele entra em promoção e o preço despenca para cerca de R$ 5. Tem que jogar.


Compartilhe esse conteúdo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.