Jogue Outra Vez – Call of Duty 4: Modern Warfare

Marcelo Ramos | Redação GameCoin – Em novembro Call of Duty 4: Modern Wafare completa 10 anos de seu lançamento e ainda se desponta como o melhor episódio da longa franquia da Activision. Recentemente bateu uma vontade tremenda de jogar CoD4 novamente. Na verdade há um bom tempo eu queria jogar novamente, mas é impressionante como os games da franquia Call of Duty ainda são caros. Meu velho PC Gamer já partiu dessa para melhor, há muito tempo, e nem sei onde foi parar o DVD do game.

No entanto, pintou uma daquelas promoções malucas na PSN que compilava os três episódios da série Modern Wafare por R$ 60 para PS3. Uma bela pechincha! Além disso, eu queria jogar o game original, com os gráficos da época, sem o pente fino que passaram para a reedição que acompanha o lastimável Infininte Warfare. Daí foi só iniciar o download.

Tirando a poeira de Modern Wafare

Depois de duas horas, Call of Duty 4: Modern Wafare estava lá todo pimpão instalado no velho PS3, dividindo uma lista com shooters modernos como Far Cry 4, Metro Last Light e até mesmo o mediano Call of Duty Ghosts, enquanto no PS4 ao lado Doom, Metro 2033 ReduxRainbow Six Seige deviam olhar com desdem. Com exceção da fodástica missão em Pripyat (quem jogou sabe bem do que estou dizendo) pouco me lembrava do game. Afinal, joguei o game no final de 2007.

E a primeira coisa que me chamou a atenção é como os games de hoje se tornaram burocráticos. CoD tem um tutorial curto e rápido, apenas para aprender os comandos. Nada daquelas tarefas intermináveis e a necessidade de conexão com os servidores para registrar seu desempenho. O game é liso, rapidamente o jogador está em ação.

Tiro, porrada e bomba

Call of Duty 4: Modern Warfare não pode ser comparado aos games que unem FPS e mundo aberto. CoD é um game linear, e até conta com áreas de exploração, mas o lance dele é aquela ação cinematográfica, com aquela sonoplastia hollywoodiana que massageia os ouvidos. Nada de coletar itens, melhorar inventário e outras necessidades de jogos mais complexos. O negócio é tiro, porrada e bomba!

Mas essa linearidade não faz dele um game medíocre, pelo contrario. Modern Warfare é um game frenético, sempre tem um NPC gritando para você se apressar. Tudo é corrido, afinal estamos em guerra. foguetes, granadas e metralhadoras detonam tudo diante dos olhos. Essa corrida alucinante é o que faz de Call of Duty 4: Modern Warfare o game que ele é.

Graficamente, não se pode comparar um game feito há 10 anos com uma produção recente: “Nossa, mas Titanfall 2 é bem mais bonito!”. Claro que é! Estranho é se não fosse! Mesmo assim é um game muito bem desenhado. Claro que hoje, conseguimos enxergar rebarbas e texturas não tão bem polidas como dos games de hoje, mas naquela época era simplesmente lindo e hoje ainda é muito legal. Por outro lado, os efeitos sonoros são demais, parece que o jogador está dentro de um filme de guerra tipo Sniper Americano ou Guerra ao Terror. É aquela sonoplastia que só os ianques conseguem fazer.

Desafios

Morre-se muito em Call of Duty 4: Modern Warfare, muito mais que nos games posteriores. Mesmo com o recurso de recuperação de energia, entrar na linha de fogo é certeza de ler frases de grandes líderes ou trívias militares. Você sabia que, em 2007, um bombardeiro B-2 custava US$ 2 bilhões? Basta morrer algumas vezes que essa e outras informações apareceram na tela para enriquecer sua cultura popular. Vai que cai no Enem?

Esse desafio faz bem para CoD, e muito se perdeu nas produções atuais, inclusive na franquia, em que o game trata o jogador como um menino mimado, que não pode se sentir frustrado. E olha que o game facilita as coisas para o jogador, pois sempre tem um checkpoint para marcar o território.

Depois de umas cinco horas ininterruptas deu para matar a saudade de CoD e lembrar de como o jogo é bom, mesmo sendo rápido como um moleque na puberdade. Se passaram nove anos e dúzias e mais dúzias de novos games desde que joguei pela primeira, mas Modern Warfare ainda continua imbatível. E definitivamente é o melhor episódio da franquia, junto com Modern Warfare 2 e sua polêmica missão “No Russians”.

É zerar e começar de novo, de novo e de novo! Uha!

Leia Também

 

Os comentários estão fechados.