Jogo do Ano – Os melhores games de 2017

Curtiu? Então compartilhe este post!

Redação GameCoin – O ano de 2017 foi um marcado por lançamentos expressivos nos mais variados gêneros das indústria de games, assim como também pela estreia de consoles como o Nintendo Switch que funciona como portátil e console de mesa ao mesmo. Junto dele a Big N também colocou nas prateleiras o Super NES Classic Edition, versão miniaturizada do lendário aparelho 16 bits. E para completar a Microsoft lançou o Xbox One X, o super videogame com poder de processamento nunca visto antes.

Mas além de consoles novos, o que marca mesmo são os games que pipocam durante o ano. De janeiro a dezembro, não faltaram ótimas produções como Resident Evil 7: Biohazard, que revolucionou completamente o formato da franquia e devolveu a “garganta seca” dos primeiros episódios da série da Capcom.

Balaio farto

Títulos como Horizon Zero Down, Cuphead, The Evil Within 2, Wolfenstein 2: The New Colossus, Assassin’s Creed: Origins, Prey, Tom Clancy’s Ghost Recon: Wildlands, Timbleweed Park e o ótimo Call of Duty: WWII brindaram o público com excelentes produções, de gêneros variados que não se resumiam apenas um ou outro estilo.

Este ano também foi registrado uma renovação nos gêneros de Corrida e Luta, com produções como Gran Turismo Sport, Forza Motorsport 7 e Project CARS 2, que elevaram o patamar gráfico e dinâmico dos games automobilísticos. Já entre as produções de luta, Injustice 2, Tekken 7 e Marvel vs Capcom: Infinite amplificam a tendência do comércio de conteúdos extras como personagens, roupas e até mesmo equipamentos, para fugir de um formato praticamente imutável desde a publicação de Street Fighter 2, em 1991. Confira alguns games que merecem destaque!

The Legend o Zelda: Breath of the Wild

Um dos principais games de 2017, senão é que é o melhor jogo do ano é The Legend o Zelda: Breath of the Wild, o game que chegou no primeiro semestre junto como Switch tinha a missão de ser tão bom quanto os antecessores Link to the Past e Ocarina of Time.

O game é simplesmente fantástico e coloca o jogador mais uma vez na pele de Link que precisa salvar o reino Hyrule. Com gráficos em estilo anime, os designers da Nintendo conseguiram um resultado visual excelente dentro das limitações de processamento de do Switch, que é uma parelho compacto e com games gravados em cartões diminutos.

A jogabilidade impressiona bastante, assim como a maneira que a narrativa envolve o jogador na trama. Quem jogou demais games Zelda não pode deixar de experimentar, mesmo que signifique gastar uma pequena fortuna na importação de um Switch, ou uma versão menos refinada disponível para famigerado Wii U.

Disponível: Switch e Wii U
Preço médio: R$ 252

Resident Evil 7: Biohazard

Depois de 20 anos de estrada, a série Resident Evil já dava sinais de cansaço, com episódios focados na ação e personagens caricatos. Resident Evil 7: Biohazard coloca o jogador numa trama em primeira pessoa que se passa numa mansão nos cafundós da Luisiana.

O jogador é um homem que tenta descobrir o paradeiro da esposa e se envolve numa trama repleta de tensão, elementos perturbadores e criaturas grotescas. O nível de tensão do game é altíssimo. Não é exagero dizer que o jogador tende a sentir mal-estar a cada cômodo que precisa vencer. Claro que quando se tem uma escopeta na mão, todo mundo tende a ficar valente. O problema é que até botar as mãos no trabuco, o jogador não pode ter vergonha de fugir sem olhar para trás.

Para quem gosta de histórias de terror, é um prato cheio. Mas indigesto, muito indigesto!

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 170

Thimbleweed Park

Sucessor espiritual de Maniac Mansion (1988), Thimbleweed Park é assinado por Ron Gilbert, que também dirigiu o Adventure veterano da LucasArts. Com padrão visual retrô e jogabilidade Aponte e Clique, o game coloca o jogador na pele de dois detetives que precisam investigar um homicídio na cidade que dá nome ao jogo.

As referências a Maniac Mansion se espalham pelas ruas da cidade. Volta e meia sempre surge algum elemento, citação ou ambiente que remeta ao game dos anos 1980, como o casarão de um dos personagens chave da trama, que tem a mesma estrutura e disposição dos cômodos da mansão do Dr. Edson, e até mesmo resolve uma charada óbvia na biblioteca. Mas não vamos contar!

Repleto de quebra-cabeças, charadas e diálogos ácidos, trata-se de um game para se jogar com paciência, como em Maniac Mansion e demais títulos do gênero.

Disponível: PC e Mac
Preço médio: R$ 35

Injustice 2

O ano foi farto na seara dos games de luta, mas Injustice 2 foi o grande destaque do gênero. O título publicado no final do primeiro semestre utiliza a mesma mecânica e jogabilidade de Mortal Kombat, mas com acréscimos de recursos como poderes, roupas e acessórios aos personagens do universo da DC Comics.

Com ótimos gráficos, o game tem estética impecável, e conta com especiais que transportam os lutadores para além do cenário da batalha. O jogador conta com modo história, que narra as agruras entre Batman e Super-Homem e diversos outros modos de desafios, partidas em rede e a boa carreira solo.

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 150

Wolfenstein 2: The New Colossus

Lançado em outubro, Wolfenstein 2 é um brinde aos games de tiro em primeira pessoa. Afinal, foi a série que consolidou o gênero que hoje é um dos mais populares da indústria. O game coloca o jogador mais uma vez na pele (bem debilitada) de B. J. Blazkowics em sua cruzada contra os nazistas.

A história dá sequência aos acontecimentos The New Order e os combates se dão nos Estados Unidos tomados pelo Reich. O game evoluiu na narrativa, que retrata os dramas do personagem, numa tentativa de torná-lo menos caricato que nos episódios passados.

A jogabilidade segue o estilo da velha guarda, com tiroteios frenéticos, barra de energia que se esgota rapidamente, inimigos grandalhões e muito sangue. Clássico!

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 200

Full Throttle Remastered

A LucasArts fez história na produção de games do estilo Adventure, o popular Aponte e Clique, para PC nos anos 1990. Full Throttle, sem dúvidas, foi dos principais sucessos da produtora, graças ao seu enredo espetacular, que coloca o jogador dentro de um filme.

O game que coloca o jogador na pele de um motoqueiro, acusado de ter assassinado um grande empresário, precisa provar sua inocência. A remasterização respeita os gráficos cartunescos da produção de 1995, mas em alta definição. Trata-se de um Adventure clássico com o humor peculiar dos games da produtora.

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 50

Cuphead

Um dos games mais legais e caprichados de 2017, Cuphead conta a história de dois bonequinhos (com cabeças em forma de xícara) que desafiam o Diabo num jogo de dados e perdem. Com gráficos inspirados e desenhados com as mesmas técnicas das animações dos anos 1930, o game também oferece trilha sonora impecável.

A jogabilidade segue a dos games de ação 2D dos anos 1980 e nível de dificuldade elevado que lembra títulos como Mega Man e Contra. O game teve um impacto tão positivo, que executivos da Disney estão rodeando os produtores o game.

Disponível: PC e Xbox One
Preço médio: R$ 35 a R$ 78

Call of Duty: WWII

Depois de uma safra lastimável de episódios, a Activision acertou em cheio com Call of Duty: WWII. O game leva a franquia de volta à Segunda Guerra Mundial, prima pela qualidade gráfica, jogabilidade desafiante e nível de dificuldade elevado. O título também oferece uma campanha extensa que tem início no histórico 4 de junho de 1944, o Dia D.

Além do modo campanha, CoD:WWII também oferece um robusto modo multiplayer e também o popular modo zumbi, que eleva consideravelmente o tempo de jogo.

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 200

Assassin’s Creed Origins

Depois de avançar quase 2 mil anos no tempo, a franquia Assassin’s Creed regressa à idade antiga, mais precisamente no reinado do faraó, Ptolomeu, por volta dos anos 40 antes de Cristo. Origins coloca o jogador na pele de um guarda real que é envolvido numa conspiração e busca vingança.

Com ótimos gráficos, um mapa gigantesco, que recria com fidelidade o Egito Antigo, o jogador tem pela frente uma campanha gigantesca, com incontáveis missões secundárias, evolução de personagem, melhorias de atributos e equipamentos, além de contar com recursos como a ajuda de um falcão, que localiza alvos como se fosse o drone de Wildlands.

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 150

Tom Clancy’s Ghost Recon: Wildlands

Ghost Recon Wildlands é um game tiro cooperativo em mundo aberto que chega para PC, PS4 e Xbox One em 7 de março de 2017

Publicado no primeiro trimestre de 2017, Wildlands leva o jogador para uma Bolívia controlada por um cartel de traficantes de cocaína. O jogador assume o líder de um grupo de agentes infiltrados que precisam desmantelar a organização do cartel.

Wildlands prima pela boa qualidade gráfica, vasto arsenal, possibilidade de customizar seu personagem e uma grande variedade de veículos para percorrer o imenso mapa do país. Na semana passada, a Ubisoft liberou a missão bônus que o objetivo é caçar o Predador. O conteúdo é uma homenagem aos 30 anos do longa-metragem, de 1987, estrelado por Arnold Schwarzenegger.

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 150

Project CARS 2

A prateleira de corridas ganhou reforços robustos em 2017, mas foi Project CARS 2 quem roubou a cena. O game segue como um dos poucos simuladores da atualidade. No entanto, oferece ferramentas de auxílio a condução que fazem com a jogabilidade se aproxime dos demais SimCade (misto entre simulador e arcade) como Gran Turismo e Forza Motorsport.

Com ótimos gráficos, o game teve alguns problemas de física e gráficos na data de lançamento, mas já foram corrigidos. O jogador tem à mão cerca de 190 modelos das mais diferentes categorias de turismo, assim como monopostos e protótipos. Ideal para jogar com volante e pedaleira.

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 120

Star Wars: Battlefront 2

Se tem um game que merece aplausos é Battlefront 2. A produção chegou ao mercado em meados de novembro com significativas evoluções em relação ao primeiro episódio. Além da inclusão de campanha solo, o game permite que jogadores joguem com personagens e também pilote as naves da franquia, como X-Wing, TIE Fighter, Milleninum Falcon e demais embarcações do universo de George Lucas.

Graficamente o título é impecável. O pessoal da DICE fez um trabalho excepcional. Já a narrativa da campanha surge como um apêndice na estrutura de franquia. Obrigatório para quem é fã de Darth Vader e sua trupe galática.

Disponível: PC, PS4 e Xbox One
Preço médio: R$ 200

Leia Também

Curtiu? Então compartilhe este post!