God of War acerta em inserir enredo dramático para fugir do clichê

Curtiu? Então compartilhe este post!

Exclusivo para PS4, God of War eleva a franquia a um patamar superior

Marcelo “Jabulas” (@MarceloIRamos)| Redação GameCoin – Muito tem sido dito a respeito de God of War. A nova produção da Santa Monica Studios, chegou no dia 20 de abril, embalado por uma expectativa gigantesca. Publicações antecipadas e comentários quase ufanistas soavam até como se um discurso ensaiado tivesse sido distribuído pela Sony. Mas a verdade é que o game é excepcional. E as notas dadas não são mera subserviência com a fabricante ou seus produtores. Os cincos anos de espera valeram a pena.




God of War é uma franquia que precisou ser revista. O gênero Hack & Slash andava em baixa desde a virada de geração e muitas franquias ficaram para trás, presas no PS3 e no Xbox 360. Assim, o jogo precisou ganhar mais conteúdos e elementos que basicamente descer a porrada nos inimigos que pipocavam pela tela.

O game transporta o deus da guerra para longe das colunas do Pathernon. Kratos, depois de se rebelar contra os deuses do Olimpo se exilou nas terras do norte, no que seria a Escandinávia. Constituiu nova família, foi pai e viúvo novamente.

Enredo

A trama se passa numa missão até um tanto simples. Kratos e Atreus (seu filho) devem levar as cinzas da matriarca para o topo da montanha. Acontece que um sujeito que colocou o Olimpo a baixo não o tipo de pessoa que encontra o sossego ao se refugiar na floresta. Kratos tem novos inimigos, sua presença incomoda as divindades nórdicas. Mas o principal desafio de Kratos é preparar seu filho para se tornar um guerreiro de valor.

Esse enredo em enquadramento fechado se faz necessário diante dos demais games da série. Na primeira fase da franquia, a Santa Monica bebeu na riqueza da mitologia grega. Naquele período, os dramas de Kratos eram pequenos diante de uma odisseia tão grandiosa, mas suas motivações pessoais sempre foram necessárias na construção da história e serviram de motivação para que ele enfrentasse deuses e titans a serviço de Zeus.

A mitologia nórdica é bastante rica, mas não tão popular quanto os escritos gregos. Afinal, o mundo é dividido entre gregos e não gregos. Daí, a necessidade de inserir um elemento íntimo à trama. E o resultado é genial.

Dramas

O game explora a relação paternal de forma profunda. Quem é pai (como eu) irá se colocar no lugar do brutamontes e se questionar se é tão rígido quanto ele, ou se deveria ter rédeas mais curtas. Esse vínculo lembra muito a relação de Joel e Ellie no formidável The Last of Us.

Quem jogou os demais games notará a expressão melancólica e mais humana de Kratos, que apesar de ser brutal e impiedoso em combate, não é mais aquele rolo compressor dos antigos episódios. Ele está velho, cansado e sabe que tem pouco tempo para preparar o filho.

Gameplay

O novo God of War chega com jogabilidade inovada, que agregou elementos dos games modernos em que os botões de comando têm diferentes funções durante o jogo. O jogador não mais concentra seus ataques e esquivas nos quarteto (Xis, Quadrado, Triângulo e Bolinha). Os golpes são desferidos nos gatilhos, como um game de tiro. Teve gente que reclamou, mas ficou melhor.

A ausência do “pulo” é algo estranho, mas o botão de salto serve para diversas funções, desde transpor um obstáculo, assim como manusear elementos do cenário e até mesmo suspender Atreus para uma plataforma mais alta. Os combates seguem insanos, com golpes rápidos e de baixo impacto e aqueles de dano pesado, mas mais lentos. Isso sem falar de novos golpes que são comprados com pontos de experiência.

Atreus

O filho de Kratos tem função na trama. Além de ser principal pilar da história, o “garoto” (como chamado pelo pai incontáveis vezes, na voz de Ricardo Juarez) participa de forma cooperativa no gameplay. Nos combates Atreus pode atirar flechas. Os disparos não tiram muita energia, mas servem para desviar a atenção dos oponentes, que abrem a guarda e dão ao jogador oportunidades de encaixar ataques mais precisos.

Atreus também é responsável por abrir passagens para Kratos. Constantemente é preciso suspender o moleque para que ele libere um acesso para Kratos.

Indumentária

Depois de deixar a Grécia, Kratos largou para trás as Lâminas do Caos e demais armamentos que tornaram imbatível. No novo God of War é preciso melhorar o equipamento, coletar insumos e dinheiro para as melhorias. Gemas, metais diferentes são necessários para as melhorias da armadura e também do Machado de Leviatã, a arma mágica de Kratos, confeccionada pelo anão azul Brok.

Exploração

O game, apesar de linear, permite que o jogador revisite os locais que já esteve. Há muitos acessos e obstáculos que demandam melhorias de habilidades e equipamentos. Assim, é possível recolher algum item escondido que tenha ficado para trás. Há inclusive recursos de viagens rápidas que permitem ir de um ponto ao outro com rapidez.

Gráficos

Graficamente o game é irrepreensível. God of War oferece um nível de detalhamento impressionante tanto no PS4, num televisor Full HD convencional, quanto o PS4 Pro rodando em um aparelho 4K com função HDR. O game permite ajustar a qualidade gráfica para um modo de maior performance e outro de melhor qualidade visual. Em qualquer caso, a qualidade impressiona.

Os cenários são belíssimos, e assim como as texturas dos protagonistas e personagens de relevância na trama. A turma da Santa Monica, chefiada pelo diretor de Arte, Rafael Grassetti, mandou muito bem na produção.

Veredito

God of War é um game excelente. Um legítimo Hack & Slash, mas com elementos modernos que ampliam a experiência de jogo. É um game para quem gosta de diálogos, explorar cenários e claro, dar muita, mas muita porrada!

Mini ficha GameCoin:
God of War

Estilo: Hack & Slash
Estúdio: Santa Monica Studios
Distribuidora: Sony
Modo On-line: Não
Idioma: Áudio, legendas e menus em português
Disponível: PS4
Preço Médio: R$ 200

E quanto vale o show?

Enredo: 5
Gráficos: 5
Jogabilidade: 5
Desafio: 5
Custo/Benefício: 4
TOTAL: 5 moedinhas

Tabela GameCoin de classificação

5 moedinhas: Excelente
4 moedinhas: Muito bom
3 moedinhas: Bom
2 moedinhas: Ruim
1 moedinha: Péssimo

Leia Também

 

 

Curtiu? Então compartilhe este post!