Battlefield 5 e a treta da garota da capa

Curtiu? Então compartilhe este post!

Marcelo “Jabulas” | Redação GameCoin – Na semana passada a Electronic Arts divulgou o primeiro trailer oficial de Battlefield 5. O game que chega no dia 19 de outubro devolve a franquia à Segunda Guerra Mundial. O vídeo de menos de três minutos traz um compilado de infomrações que expõe os modos de jogo, qualidade gráfica, gameplay e enredo. E no último ponto em que explodiu a polêmica do trailer.

Em sites especializados em games, fóruns, grupos de discussões, redes sociais muita gente questionou o fato de ter uma personagem mulher no campo de batalha. A crítica não foi por uma razão sexista, mas pelo fato de que mulheres não foram recrutadas para compor as linhas de frente.

Elas estiveram lá

Acontece que durante a guerra, existiram mulheres em combate. O principal exemplo é a ucraniana Lyudmila Mikhailivna Pavlichenko (foto abaixo), franco-atiradora soviética que, oficialmente, anotou 309 mortes. Até hoje, ela é a maior sniper da história. Outras atuaram como pilotos de aviões, o que mostra que comprova que a presença feminina na Segunda Guerra não se resumiu aos escritórios do Estado Maior e nem às enfermarias.

Outro detalhe que chama atenção na personagem mulher é que ela não tem características de uma soldado regular. Ela não utiliza fardamento convencional e tem um tipo de pintura de guerra, como outros de seu grupo. Daí, podemos dizer que tal personagem é integrante de uma guerrilha, pertencente a um grupo de identificação excêntrica. Durante a Segunda Guerra existiram movimentos guerrilheiros espalhados pela Europa. E neles haviam mulheres.

Só para exemplificar em Call of Duty WWII, há uma passagem do game em que o jogador participa de uma missão de sabotagem e tem como companhia uma guerrilheira. No clássico Commandos 2 havia uma guerrilheira na equipe. Então a presença feminina não é algo que condene a curadoria histórica da produção.

A prótese

Mas o que chama atenção é o fato dessa mulher ter uma prótese no lugar do braço esquerdo. Não que o membro artificial serja a cerne da discórdia. O que chama atenção é que o braço protético tem fios conectados ao corpo, o que indicaria uma espécie de implante que lhe permitisse a destreza para o combate.

Assim, muitos dos “especialistas” em Segunda Guerra, que bradaram para a presença feminina no trailer, não devem ter se atinado que na década de 1940 não haviam próteses com implantes nervosos. Hoje os poucos membros artificiais desenvolvidos ainda estão em fase experimental e contam com nano tecnologia e eletrônica avançada, que não existia durante a Segunda Guerra.

Personagens caricatos

No vídeo ainda é revelado um personagem de boina vermelha com uma Katana, espada japonesa, que pode induzir um quê de Aldo “O Apache” (Bastardos Inglórios) na trama. Daí, podemos concluir que os produtores de Battlefield 5 não buscam uma fidelidade histórica. Outras franquias que mamaram na teta da Segunda Guerra também incluíram elementos ficcionais como Wolfenstein. Ou tem alguém aqui que acredita que o exército de Hitler tinha cachorros robôs gigantes?

Assim, ao que indica o game utilizará a ambientação da Segunda Guerra como pano de fundo para um episódio construído para o game. Todos esses elementos caricatos são elementos que irão construir os personagens, como o próprio Aldo “O Apache” e o Urso Judeu da película de Quentin Tarantino. E por falar em Tarantino, em seu filme, foi uma mulher judia quem matou Hitler! Quem se lembra?

O que devemos ter em mente é que nenhum game tem a obrigação de ser um documentário, fidedigno diante da história. História meus caros, que sempre é escrita pelos vencedores. Se existisse essa amarra com a história, o que iriamos dizer sobre Assassin’s Creed? A série da Ubisoft insere inúmeros elementos históricos para ambientar seus episódios. Mas nunca na história existiu a tal Ordem dos Assassinos. A história é pano de fundo meus caros.

Sendo assim, deixem os caras concluírem o game em paz. E quem se incomodar que jogue outro qualquer. E vida que segue! 

E você, qual sua opinião e expectativas sobre Battlefield 5?

Leia Também

 

Curtiu? Então compartilhe este post!